General salvou Bolsonaro de um golpe por Toffoli, Maia e Alcolumbre

Ação teria sido encabeçada por parlamentares que queriam instituir o parlamentarismo no Brasil



O General Ajax invadiu o gabinete de Toffoli e lhe avisou "Se vocês levarem a cabo essa ideia de destituir o presidente Jair Bolsonaro, o Exército Brasileiro não permitirá." e retirou-se
Carlos Bolsonaro descobriu que estava em andamento um sórdido complô com vistas a deflagração da campanha para criar o parlamentarismo para enfraquecer o governo Bolsonaro.
Os conspiradores eram o trêfego presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.Dias Tóffoli e Davi Alcolumbre, respectivamente presidente do STF e do Senado Federal.
Maia assumiria o posto de “primeiro ministro”, porque se achou o mais indicado, aduzindo que teria a Câmara nas mãos
.Alcolumbre, por sua vez, ainda embalado pela proeza de ter abatido o poder de Renan Calheiros, dentro do Senado, ousou:
- Eu fico com a presidência, porque o Bolsonaro não irá querer dar uma de “rainha da Inglaterra”.

Dias Toffoli, seria o respaldo ou a garantia de que todo o atrevido plano daria certo, embora ele próprio não tivesse a certeza disso.
Maia já havia distribuído, entre lideranças na Câmara, cópias do projeto de implantação do regime parlamentarista no Brasil.
As esquerdas estavam pulando num pé só, de tanta alegria e o PSDB, vibrando adoidado.
Mas todo o plano ruiu quando o general Ajax Porto Pinheiro, alertado por Carlos Bolsonaro, entrou no gabinete de Toffoli, com o respeitável e devido pedido de licença:
- Presidente Toffoli, com o respeito que lhe devo e o senhor me merece, quero lhe advertir do seguinte... se vocês levaram a cabo essa ideia de destituir o presidente Jair Bolsonaro, o Exército Brasileiro não permitirá. O homem foi eleito pelo povo e somente o povo pode tirá-lo da presidência da República (...) Se insistirem nesse projeto, nós interviremos, começando por aqui, no STF! Com sua licença!
E retirou-se.
Imediatamente, Toffoli pegou telefone e ligou para Maia:

- Rodrigo, aborte o projeto do parlamentarismo. Conversaremos pessoalmente!
Conversaram, sim. Quando a história começou a vazar, Toffoli espalhou que foi ele quem evitou o desastre. Maia não gostou da média do Toffoli.
Aí, o vice Mourão, também achou de tirar a sua casquinha, pegando bigu na atitude do colega:
Se o STF não cumprir o seu dever, as Forças Armadas intervirão.
O general Ajax Pinheiro já tinha dado o recado há muito tempo, diretamente na fonte, isto é, a Dias Toffoli.

Mais uma vez (em se confirmando a veracidade do fato), nossa glorioso Exército Brasileiro salvou a democracia do país dos golpistas de plantão.





Fonte : Ailton Villanova , Jornalista, Escritor e Perito Criminal.

Nenhum comentário